Slide Show


 

Banner

105 anos de Perdões: Vamos escrever?

Publicado em: 23/10/2017 às 11:04 - Categoria Cultura
Total de visualizações: 221

Vamos escrever? Foi a primeira frase que me ocorreu ao pegar o caderno de rascunho.
Escrever o que? Mudança de temperatura? Hoje está mais frio, mais agradável. Um ventinho preguiçoso entra pela janela de meu quarto.
Olho a internet, em quadradinho a direita, que dizem chamar “Bate-Papo”, continua mudo.
Como eu gostaria que esse bate-papo, fosse de fato “dador” de notícias, de respostas, de comentários.
Os pontinhos verdes estão lá, mudos como se verdes não representassem a esperança.
Esperança de ouvir voz? Não. Não precisa tanto. Basta algumas letras, ou sílabas, ou palavras transformadas em frases.
Assim: “Com fé, esperança e amor”, eu confio em Nosso Senhor.
Ao lado do quadrinho que contém os pontinhos verdes, mudos, sem falar, sem responderem, segue uma linda, piedosa e bem organizada procissão. Aí sim, seus seguidores, em sinal de respeito e pela Virgem que caminha com eles, estão mudos, sem falar, pedindo mentalmente as graças que necessitam. Seguem rumo à Igreja, que para nós, representa o Céu.
12 de outubro passou os 9 dias que antecederam o – 12 – foram dias de Graças, louvores e muito amor à Santíssima Mãe de Deus, que para nós brasileiros tem o nome de Nossa Senhora Aparecida, Mãe e Padroeira desse Brasil imenso que A ama, com todo fervor.
Não preciso comentar que esse nome tomado pela Virgem Aparecida e pelo seu aparecimento das águas do Rio Paraíba do Sul, na rede de simples pescadores. Esse foi seu 1º milagre. Pescada em vezes diferentes. Primeiramente o corpo e depois a cabeça.
Com que cuidado foram ornamentados os altares, dia após dia, com dizeres referentes aos cuidados que uma Mãe tem com os filhos.
Senhora Aparecida:
1) Das águas ao nosso coração
2) Das águas a graça batismal
3) Das águas aos sinais de redenção
4) Das águas ao encontro dos peregrinos
5) Das águas aos sinais da misericórdia
6) Das águas à Luz que é Jesus
7) Das águas à ação libertadora
8) Das águas ao acolhimento do amor
9) Das águas aos 300 anos de bênçãos do Céu.
Até hoje ressoam em nossos corações esses ensinamentos, que devem permanecer e serem praticados; em nossos olhos as vestes brancas simbolizando a pureza de Maria e em nossos ouvidos o entusiasmo e amor aos “Viva Nossa Senhora Aparecida”; “Viva Cristo”; “Viva a Santa Igreja de Deus”!
12- é também dia dedicado a Criança. Padre Jorge preparou para elas, uma bênção especial.
Crianças figuraram os pescadores, os habitantes da época e não faltou o já esperado saquinho de balas, desta vez contendo medalhas, brinquedos e tercinhos.
Mais de 120 saquinhos foram oferecidos às crianças.
A alegria brotava no coração das crianças e refletia no olhar esperançoso de receber sua oferta.
Nesse dia 12, dia da criança e principalmente de Nossa Senhora Aparecida, Mãe, Protetora Padroeira do Brasil, não faltou quem dissesse “Que festa mais linda, mais sagrada, mais cheia de Deus!’’
Vamos continuar como se naquele dia os relógios parassem para que eternamente guardássemos e praticássemos, a lembrança desse dia glorioso.
Vamos escrever? Graças ao Espírito Santo de Deus, consegui.
Amém! Amém! Amém!


Alba Rezende Bastos (D.Iaiá)


MAIS LIDAS


anuncie