Slide Show


 

Banner

106 anos de Perdões: As maravilhas de Perdões

Publicado em: 11/06/2018 às 14:18 - Categoria Cultura
Total de visualizações: 63

Como sempre faço de manhã, vou até o alpendre para ver o que está acontecendo ao redor de mim.
Contemplo o Céu, contemplo a terra, as casas, a rua, e dou graças por estar tudo normal. Não deixo de abrir a caixa do correio, retirar contas e boletos, pois é só isso que se usa agora, não contando a revista de Aparecida, uma vez por mês.
Hoje tive uma surpresa. Agradável, muito agradável. Abri. Um envelope. Endereço certo. Para mim. Selo e carimbo.
Vou ler, pra você, o que estava escrito na carta: ‘‘D. Alba, sou perdoense de nascimento e batismo. Quando completei 7 anos mudamos para o Sul de Minas e nunca mais tive notícias de Perdões. Agora, com 22 anos fiz vestibular e passei. Estou estudando na UFLA. Descobri que Lavras é pertinho de Perdões. Descobri que há alunos de Perdões na UFLA. Descobri a senhora.
Será possível o que desejo? A senhora, em sua coluna no VOZ, falar alguma coisa sobre Perdões? 7 maravilhas, por exemplo. 7 não, 6, porque uma delas serei eu. É sobre um rapaz que vejo todos os dias nos intervalos das aulas. É de Perdões. Sério, pouca conversa. Está sempre com seu computador, resolvendo não sei o que. É alto, aparenta ter 25, 26 anos. Usa óculos, o que não atrapalha seu charme. Com barba ele é bonito. Sem barba é lindo, maravilhoso! Suas fotos no Face, são retratadas por ele mesmo.
Na sexta-feira ele vai pra casa e eu fico esperando a sua volta.
D. Alba, nesta cartinha está uma das maravilhas de Perdões, H.J.B.M.
Meu nome é M.’’
Outra maravilha é a Igreja (com i maiúsculo) nem se pode imaginar que a Igreja de Deus, tenha tantos templos e tantos fiéis. O povo de Deus ou Igreja é educado para servir ao Senhor, Rei do Universo. Cada igreja tem seu Pastor. Seja a igreja do Rosário ou a Casa da Bênção. Todos nós vivemos como irmãos e não invejamos uns dos outros. A Igreja, povo de Deus é uma das Maravilhas de Perdões.
Uma outra maravilha, é única. Bela e sofredora imagem de Jesus na Cruz. Sangrando no corpo flagelado, causado pelo chicote e lanças… Ah! Se pudéssemos recolher aquele sangue sacrossanto. Sim! Podemos sim. Com o coração contrito, isento de todo mal, podemos minorar o sofrimento de nosso Deus, pelo seu Filho Jesus na Sagrada Eucaristia, que nossos sacerdotes ministram na Santa Missa.
Já disse certa vez no VOZ: Belíssima imagem do Senhor Bom Jesus, nosso Padroeiro, está de braços abertos, nos acolhendo no Altar-Mor da igreja Matriz.
A Santa Casa com toda sua beleza externa, construção feita de 1918-1921, com janelas abertas e enfeites está sempre recebendo e deixando a luz do céu entrar. Luz que vem de Deus, para orientar quantos lá trabalham.
Quanto bem faz a Santa Casa. Quanto sofrimento aliviado. Oscar Alvarenga, João Melo de Oliveira, Otávio Alvarenga, lutaram por essa criação. 1º médico Dr. Alcides, 1ª enfermeira Leolinda Lopes Siqueira – amo dizer que foi minha tia e Celina, cozinheira.
Tem todo tipo de hospital. Deus proteja sempre a Santa Casa e todos que lá dão seu trabalho. É maravilhoso isso!
A outra grande maravilha que Perdões possui é monumento ao Expedicionário Perdoense. Ele enfeita a Praça 1º de junho, desde 1964. É tombado pelo Patrimônio Histórico e Cultural de Perdões. A beleza maior do monumento está no desprendimento, coragem, heroísmo, amor a Pátria, exemplo de fé, de 10 rapazes que deixaram família, amigos, terra natal, para lutar em terra europeias, para salvar a Pátria de mãos estranhas. Levaram somente a mochila nas costas e Deus no coração.
Quem gosta de apreciar coisas belas e interessantes, quem lança um olhar em torno, vê montanhas (serras) mas será que as aprecia? Será que algumas lhes tragam lembranças? Do alpendre de minha casa, vejo uma. Apenas uma. É chamada Frango assado, pela aparência.
Sei que é uma linda serra. Metade é uma plantação. Talvez de café. A outra metade, uma pequena mata, que nos meses de agosto e setembro, salpicam de pontos amarelos. São os ipês que floresceram. Alegram nosso viver. De outros pontos da cidade, olhando para o sul, temos a Serra dos Montes, coberta por matas nativas. Possuiu um cruzeiro, onde a população de Perdões, em anos de “seca” (falta de chuva) ia em Romaria ou Procissão molhar os pés da Santa Cruz e muitas vezes voltavam molhados.
Ainda não terminou a serra dos Montes, começa a serra Filhos do Zé Maria.
É bonita com arbustos floridos. Vista panorâmica da cidade. É uma serra comercial. Lá estão as antenas da rede social e tanques da Copasa, para purificação da água que vem de nosso querido, majestoso Rio Grande (Represa do Funil).
Agora, quem vai ao Cerrado ou Cerradinho, depara com a serra que aos poucos ficou com o apelido de Serra do Lixão.
Não fique triste, não serra pelo apelido.
Você é útil demais e é isso que importa. Você faz a faxina da cidade e é também alimento. Caminhão, até de outras cidades, vão até você apanhar o que há de melhor. Os mais humildes catadores de papel, vão com apenas um saco plástico, procurando o papel que será vendido e transformado em alimento para os filhos. Uma cadeira com o pé quebrado, uma panela, só porque perdeu a alça são jogados lá, e recolhidos por quem pretende mobiliar seu modesto barraco.
Você alimenta, também, cães e urubus que convivem harmoniosamente com todos.
Você é querida e preciosa, só que você não sabe disso.
Outras duas serras que Deus fez unidas, gêmeas, em altitude superior a outras são: Serra do Sô Ovídio, que já por muitas vezes serviu de fundo para fotos da Matriz e a de Quenta-Sol, que logo ao amanhecer está enviando seu calor solar as pastagens.
Deus as fez unidas e o homem, pelo progresso as separou. É o desaterro para passagem da Rodovia que nos leva a Cana Verde, Campo Belo, e a infinitas distâncias.
A última serra nesta minha descrição, faz parte de nossa história. Capão das Flores. Ela é vista quando se vai a Lagoa ou Machados.
Histórica, porque de lá saiu a 1ª água potável, que o perdoense bebeu.
Pelos sulcos cavados na terra (regos) ou por canais feitos com bambus gigantes, Romão Fagundes levou essa água até a igreja do Rosário.Por coincidência as montanhas são 7. Vamos a última maravilha. Visão nova. Linda! Cheia de graça. Suponhamos: são 6 horas da tarde. Vamos cumprir nosso compromisso de Fé. Caminho do Centro de Perdões, para o bairro Lourdes. Passamos pelo túnel próximo ao Hotel Avenida. Tomamos a marginal até a Associação dos Caminhoneiros e vamos sempre por uma rua comprida, até avistar a igreja de Lourdes e São Francisco. Subimos os degraus da escada. São exatamente, 6h40 minutos. Vire… Dê as costas para a igreja. Surpreenda-se com o majestoso espetáculo em sua frente. Será que a Igreja subiu? Será que o Céu desceu? Cada luz a faiscar na terra, temos a impressão de estrelas no céu. São 7 horas. A Missa vai começar. Vamos agradecer pela maravilha desse lugar, desse céu na terra. Tudo muito sagrado. Só Deus mesmo!
Amém! Amém! Amém!


Por D.Alba Rezende Bastos (D.Iaiá)



MAX

PW (1)

anuncie