Slide Show


 

Banner

Câmara de Perdões fica lotada em reunião que instaura a Comissão Processante para investigar suposta fraude em Concurso Público

Publicado em: 24/04/2016 às 11:34 - Categoria Matéria de Capa - Edições Anteriores
Total de visualizações: 813

No dia 18 de abril, segunda-feira, às 19h, na Câmara Municipal de Perdões foi realizada a 49ª Reunião Extraordinária.
Após a leitura da Bíblia, leitura da Ata, leitura das correspondências recebidas, apresentação sem discussão de projetos novos e proposições e encaminhamento às comissões; após discussão e votação do projeto em pauta, dos projetos aguardando parecer ou diligência – o povo aguardando ansiosamente, eis que a presidente da Casa, vereadora Keila, passa a palavra para a Assessoria Jurídica da Câmara.
A Câmara ficou lotada por vários segmentos da sociedade, principalmente os candidatos que fizeram o concurso, assim como seus familiares; todos os vereadores compareceram a esta histórica reunião.
Primeiramente formalizaram o recebimento da denúncia, com a leitura de dois documentos e a transcrição do áudio que denuncia a suposta fraude do Concurso Público de Perdões. Logo após, a votação da aceitação da denúncia e a cada ‘sim’ dos vereadores o público aplaudia com entusiasmo.
Diante da aceitação da denúncia foi realizado o sorteio com os nomes dos oito vereadores (a presidente da Câmara não participa, conforme norma) para compor a Comissão Processante.
A presidente da Câmara Keila Cardoso e o secretário, vereador Anderson procederam na escrita dos nomes, mostrando com transparência a todos presentes esses nomes.
Duas pessoas no plenário foram convidadas para o sorteio dos nomes dos vereadores e o resultado: vereadores Antonio, Wagão e Fábio/Negão.
Os três votaram entre eles para escolher o cargo de cada um.
O vereador Antonio foi eleito presidente com dois votos, o vereador Fábio/Negão foi eleito com três votos, unânimes, para relator.
Agora com a Comissão Processante formada, os vereadores têm 5 (cinco) dias úteis para notificar o prefeito, para que ele apresente a defesa. Depois disso a Câmara terá o prazo de até 90 dias para concluir a investigação.
A denúncia está também sendo investigada pelo Ministério Público e se a fraude for comprovada pela Comissão Processante, o prefeito pode ter o mandato cassado.
Vale destacar que mais uma vez foi informado na reunião que quanto ao concurso público não é função dos vereadores a decisão sobre a sua legitimidade. Isso já está nas mãos do Ministério Público para ser apurado.
Nessa reunião fizeram uso da palavra na tribuna do povo: Vinícius (que fez o concurso), a advogada Dra.Dulce e Eline.
Sobre a gravação que revela suposta fraude no Concurso Público de Perdões, o Jornal VOZ publicou na edição impressa de 09 de abril de 2016 e também pode ser acessado em jornalvoznet.com.br/gravacao-revela-suposta-fraude-no-concurso-publico-de-perdoes

2 3
Confira na página do Jornal VOZ no facebook o vídeo com parte dessa reunião que formalizou a aceitação da denúncia e formou a Comissão Processante.


MAIS LIDAS


anuncie