Slide Show


 

Banner

Em alta no mundo, Crossfit ganha cada vez mais adeptos em Perdões

Publicado em: 28/01/2017 às 10:30 - Categoria Esporte e Lazer
Total de visualizações: 2883
Treino de crossfit na Praça da Matriz – Eventos externos são comuns Foto: Arquivo Pessoal Guilherme Melo

O crossfit é uma modalidade esportiva que surgiu na década de 80 nos EUA e logo foi adotado pelas Forças Armadas americana para melhorar o condicionamento físico22 dos militares. Consiste num treinamento de alta intensidade que visa melhorar as capacidades funcionais de uma pessoa. A ideia é desenvolver dez capacidades do ser humano sendo: força, flexibilidade, resistência muscular, resistência cardiorrespiratória, potência, velocidade, agilidade, precisão, coordenação e equilíbrio.
Diferentemente da musculação tradicional em que os treinos trabalham musculaturas isoladas, o Crossfit trabalha o máximo de grupamentos musculares possíveis em seus movimentos, preconizando o desenvolvimento do corpo como um todo e não de partes isoladas. Com isso há uma melhora estética no corpo e como é uma atividade de alta intensidade, ótimos resultados são alcançados em um espaço de tempo relativamente curto. Pessoas que procuram emagrecimento, condicionamento físico, força e melhora na definição muscular estão lotando os treinos de Crossfit em todo o Brasil.
Em Perdões, essa moda já pegou. Segundo o personal trainer, Guilherme Melo, professor de educação física há seis anos e que há três trabalha com Crossfit em Perdões, na academia onde da aula, mais da metade dos alunos que estão matriculados no studio personal fazem treinos regulares de crossfit. Grande parte das pessoas que normalmente procuram uma academia e que almejam o emagrecimento encontram no crossfit uma maneira eficaz de alcançar suas metas. O crossfit por ser uma atividade de alta intensidade proporciona um gasto energético maior e uma perda de gordura corporal significativa, explica Guilherme. Ele ressalta que por ser uma atividade de alta intensidade existe risco de lesões como em qualquer modalidade esportiva e os exercícios são orientados e adaptados individualmente a partir da capacidade do aluno. Por isso é imprescindível o acompanhamento de um profissional de educação física com cursos e conhecimentos específicos da modalidade. “Além de tudo, é uma forma divertida de ter mais saúde!”
A nutricionista Flávia De Simone vem trabalhando há quase um ano com pessoas que praticam o Crossfit, fazendo um acompanhamento da evolução física e nutricional dos alunos. Ela explica que seus pacientes têm perdas significativas de gordura corporal em tempo relativamente curto e consequentemente ocorre uma definição muscular, pois a perda de gordura corporal subcutânea deixa a musculatura mais aparente. Ela relata que seus pacientes que praticam o crossfit estão em sua maioria muito satisfeitos com os resultados, pois é uma modalidade dinâmica com alguns treinos em grupos além de ser prazerosa. Ela percebe uma paixão dos seus pacientes pelo esporte e isso intensifica a adesão ao planejamento alimentar refletindo assim nos resultados. “Os resultados vêm e muito rápido”, conclui Flávia.
Cultura
O Crossfit vai além da prática esportiva. Os praticantes mantem uma relação de amizade além do ambiente de academia. Frequentemente são realizados eventos externos tanto sociais quanto relacionado ao esporte. “Recentemente fizemos um treino na Praça da Matriz e foi muito legal, todo mundo marcou presença” diz Daniella Kíssel, 39 anos e que há uma ano e meio pratica Crossfit. “Na academia onde treino, costumamos dizer que somos uma família… a família tora!”, completa Daniella. Para Sandryelle Mendonça, estudante de 18 anos e que a um ano pratica Crossfit, a vida dela “se resume em Crossfit” e que em seu círculo social divulga e incentiva as pessoas próximas a praticarem o Crossfit. “Eu sempre gostei de atividades físicas que me instigassem e fizessem eu dar o meu melhor e no Crossfit eu encontrei isso”, relata. A cultura Crossfit é muito forte, os praticantes vivem o esporte 24 horas por dia e nas redes sociais interagem, trocando informações, combinando treinos e compartilhando fotos e vídeos. “Outro dia fui dar uma olhada nas minhas fotos no Instagram e só tinha foto de treino” relata Daniella rindo. De fato, numa rápida pesquisa nas redes sociais é possível encontrar várias pessoas postando fotos, vídeos e dicas de treinos, bem como grupos relacionados ao assunto trocando informações. “É um vício”, conclui Sandryelle. Douglas ‘Kafé’, como gosta de ser chamado, faz treinos regulares há sete meses.
Antes do Crossfit ele fazia musculação e iniciou no Crossfit por curiosidade e pela promessa de bons resultados em curto espaço de tempo. Ele não se arrepende, “a perca de peso é notória”, relata.
A redes sociais também é usada para uma finalidade mais, digamos, educativa: um castigo para quem ‘pisa na bola’de alguma forma nos treinos ou no ambiente. Por exemplo, quando algum aluno vai embora do treino e esquece de guardar algum equipamento, como uma barra de halteres, entre outros, uma foto do equipamento esquecido é postada nas redes sociais informando o que aconteceu e quem deixou o equipamento abandonado.
O texto segue explicando que esse tipo de fato atrapalha os treinos dos demais “coleguinhas” e impõe um castigo: Burppe, o exercício mais temido dos crossfiteiros. Só de ouvir falar, alguns já sentem um frio na espinha, outros ficam ofegantes. O exercício tem alto grau de dificuldade e começa com um agachamento, seguido de um rápido movimento de colocação das mãos no chão à frente do corpo e um chute que posiciona as pernas para trás. Então vem um movimento de flexão (push-up) e, ajuste das pernas na posição de agachamento. Eleva-se o tronco e ao estender as pernas é realizado um salto com os braços para o alto (veja o vídeo do movimento completo no site do Jornal VOZ). A quantidade de repetições do exercício que o aluno esquecido tem que fazer está relacionada ao número de curtidas que o post recebe. Se recebe 50 curtidas, o ‘pobre coitado’ esquecido tem que pagar 50 burpees.
Mário Antonio, 41 anos, e iniciante no esporte, relata que recentemente um trio de alunos, no qual se inclui, resolveu pregar uma peça no treinador que estava viajando de férias. Colocaram uma foto, obtida na internet, de um piso de grama sintético danificado, idêntico ao da academia onde treinam, no grupo de WhatsApp da academia. O treinador quando viu a foto e a mensagem dizendo que o piso havia sido danificado deu uma bronca geral na turma. “Todo mundo se sensibilizou com o treinador. Sabíamos que ele iria ficar muito chateado” conta. Depois de algum tempo, desmentiram e disseram se tratar de uma brincadeira. “Saiu caro”, arrepende-se Mário. A brincadeira foi postada no Instagram do treinador e em 24 horas recebeu 70 curtidas, o mesmo número de burpees que o trio de engraçadinhos terão que pagar.


Mário A.Oliveira – Crossfiteiro

 



MAX

PW (1)

anuncie