Slide Show


 

Banner

Para aumentar segurança de Perdões, Prefeito pede ajuda à Secretaria de Defesa Social

Publicado em: 30/01/2016 às 18:24 - Categoria Cidadania
Total de visualizações: 1170

INFORMATIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE PERDÕES

Assessoria de Imprensa/Prefeitura Municipal de Perdões

“Nos ajude a evitar mais crimes violentos em Perdões”. Esse foi o pedido que o prefeito Fernando Piau fez ao coronel Maurício Antônio dos Santos, subsecretário da Secretaria de Estado de Defesa Social.
Os dois se reuniram no último dia 27, quinta-feira, na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, juntamente com o diretor de Gestão Integrada para Resultados da Sedes e com o nosso secretário municipal de Administração e Recursos Humanos, Flávio Lúcio Carlota.
Em mais uma tentativa de aumentar a segurança pública do nosso município, o prefeito relatou o que vem acontecendo em Perdões nos últimos meses e que está tirando o sono das famílias desta cidade que é conhecida regionalmente por ser ordeira, tranquila e da paz.
O subsecretário da pasta de segurança pública de Minas ouviu atentamente as reivindicações de Perdões e disse que, na medida do possível, irá contribuir com instrumentos para uso das polícias militar e civil, além de disponibilizar um especialista no assunto para vir até a nossa cidade participar da reativação do Consep (Conselho Municipal de Segurança Pública).
Ele também garantiu outras ações que serão tomadas em conjunto com o Pelotão da Polícia Militar, Delegacia da Polícia Civil e Ministério Público.

Outra medida que pode ser adotada em Perdões, com apoio do governo de Minas,é a instalação de câmeras de monitoramento em vários pontos estratégicos da cidade, com a central instalada no quartel da PM

O coronel Maurício Antônio também falou sobre a importância da participação da sociedade neste momento crítico que Perdões está passando. De acordo com ele, uma das maneiras de o cidadão contribuir para o combate ao crime é fazendo denúncias pelo telefone 181, em que a chamada é atendida em Belo Horizonte e a identidade do denunciante é mantida no mais absoluto sigilo. A pessoa recebe um número de protocolo e pode acompanhar o desenrolar da ocorrência, já que as Polícias Civil e Militar têm um prazo de 60 dias para responder a ONG que gerencia esse disque-denúncia.
O subsecretário da Secretaria de Estado de Defesa Social também concedeu uma entrevista exclusiva ao “Fala, Prefeito” que vai ao ar neste sábado (30).


MAIS LIDAS


anuncie