Slide Show


 

Banner

105 ANOS DE PERDÕES: Abril e minhas recordações

Publicado em: 23/04/2018 às 16:31 - Categoria Cultura
Total de visualizações: 43

Os 15 primeiros dias de Abril se passaram. Sem novidades. Agora vamos esperar pelos 15 dias restantes. Haverá na Paróquia do Senhor Bom Jesus dos Perdões, festa em homenagem a São José, pai adotivo de Jesus, esposo de Maria e Patrono da Igreja Católica.
Na Paróquia de Nossa Senhora das Graças, São Jorge será lembrado com Tríduo, missa e procissão a cavalo.
Em seu cavalo branco São Jorge percorrerá uma vez mais ruas de nossa cidade para abençoar Perdões e todas as comunidades rurais.
Meu aniversário passou. Recebi toda sorte de desejos: que eu tenha saúde, tenha paz, tenha fé, felicidade, muitos anos de vida (não precisa tantos) e muito amor no coração (aí, como tenho), e por falar em aniversário, ainda tenho 3 para serem comemorados neste abril. 18 – o Ricardo, morador no Sítio Olhos D’Água-Cana Verde. 23 – a Érica-Belo Horizonte e o Carlinhos-Nepomuceno.
Será que ao menos um deles vai nos dar uma festa? Esperemos.
Recebi uma carta datada de 27/03/2018, porém ele, o autor da carta não sabia que era meu aniversário, e que estava me oferecendo um grande presente.
Vou colocar aqui pedacinhos da carta, que muito me agradaram. “E fui professor do João Bosco”; “Absorvendo cada linha”, “Amei ler sua obra”, “Sendo até fotografado lendo”, “Abraços do seu amigo secreto”.
Ele fala em presentes secretos, porque recebi há alguns meses um lindo e bem trabalhado oratório, onde coloquei São José com seu filhinho nos braços e Nossa Senhora Aparecida.
No oratório não faltam nunca uma rosa natural e ramalhete de flores artificiais. Agora vai a carta inteirinha e o nome do autor.


Dona Alba,
Minha amiga secreta, pois desconhece que a tenho por amiga desde 1969, quando começar a lecionar em Perdões, especificamente na escola Dulce Oliveira, sob a ”batuca” do Dr. Edmar, e fui professor do João Bosco.
Até hoje mantenho um relacionamento com ele, cheio de respeito mútuo, mas distante no tempo e no espaço
Ontem terminei de ler ”As veredas de Alba nos barcos da vida” , que adquiri em 17.12.2016. Eu o lia nos momentos de muito relaxamento, absorvendo cada linha e tentando reconhecer cada personagem, uns assim, outros assado; outros com buraquinho no queixo… Em certos momentos eu era levado a refletir sobre momentos de muita espiritualidade. Depois havia os momentos cômicos, momentos de muita emoção, momentos esportivos, momentos históricos.
Recomendei a alguns citados em seu livro, que não o conheciam, para o adquirir, pois afinal, foram mencionados. Ficava triste por não ”saber” certos nomes, por atribuir obras a quem não as fez, mas omitir os verdadeiros autores. Mas tudo isto faz parte, principalmente quando o grande objetivo da obra não é o histórico, mesmo sendo, de certa forma.
Amei ler sua obra, sendo até fotografado (num laboratório de exame de sangue e outras coisas).
Parabenizo-a por tão primorosa obra, inspiração e facilidade de comunicação.
No verso, faço uma tentativa de ajudá-la numa pesquisa, mas que já deve ter encontrado outro colaborador: o homem chinês que viveu mais de 250 anos… será verdade?
Abraços do ”seu amigo secreto” , com presentes secretos.
Perdões, 27.03.2018
José Aleixo


Sempre o considerei como amigo e sua amável esposa Neila.
O presente que você me deu agora, José Aleixo, e que me referi, foram os elogios.
Eu também acho que comunicar com simplicidade, é como se estivéssemos assentados em um banquinho, num jardim florido podendo comunicar, também, com o olhar.
Bem, Zé Aleixo, Leia novamente a carta inteirinha, viu?
Que São José nosso Pai amoroso nos traga tudo que precisamos… e que São Jorge em seu cavalinho branco, traga de volta para nós, os valores perdidos.
Amém! Amém! Amém!
Em tempo – enquanto escrevia pensei que de agora em diante, iria homenagear um prefeito nascido no mês.
O 7º do meu álbum de Governantes de Perdões, encontrei o que queria. Prefeito nascido em abril: Julho Geraldo dos Santos, nasceu em 15 de abril de 1902; o s pais, João Mendes Rosa e Antônia Maria da Conceição. 7 irmãos.
Aos 12 anos veio trabalhar em Perdões. Hospedou-se com D. Belica. Estudou no Externato Gomide. Empreendedor e dinâmico. Sócio de João Melo Gomide, na empresa Júlio Geraldo dos Santos e Cia Ltda.
Esposa – Modestina Faria dos Santos; filhos -João Júlio e Maria Regina. Prefeito de Perdões, em 1941, admirado pelos dotes de bom administrador.
Que Deus o tenha em seu Reino de Paz!

Por Alba Rezende Bastos (D.Iaiá)



MAX

PW (1)

anuncie