106 anos de Perdões: Feliz Natal de Jesus, para todas as famílias perdoenses

24 de dezembro de 2018 11:53

2018 está no final. Chegou, novamente, o Natal daquele que é imortal.
Natal sempre foi o acontecimento mais esperado do ano. Natal em família.
No passado, esse era o tempo em que as famílias se reuniam para celebrar esse importante, nascimento. Natal e nascimento são a mesma coisa. Sinônimos.
E Natal de quem? Está claro que é o nascimento de uma criancinha que pelas imagens é gordinha, esperta, olhos claros e cabelos cacheados. Linda criança! Assim era a criança que ao nascer tomou o nome de Jesus como o Anjo havia recomendado a José, o pai adotivo.
Por dentro essa humilde criança tinha e tem um coração puro, transbordante de amor, verdade, paz e graça. Um espírito brilhante cheio de graça e luz, para que mais tarde, ao completar 30 anos espalhasse pelo mundo conhecido naquele tempo, há dois mil anos atrás, toda verdade recebida do Pai.
O mundo cresceu. Hoje somos mais de 2 bilhões de seres humanos e Jesus está aí, firme, conhecido e amado por famílias que habitam mais de 180 nações. (Lembremos a Jornada Mundial da Juventude que reuniu no Rio de Janeiro, mais de 3 milhões de jovens).
Reis poderosos foram destronados, nações importantes caíram, esquadras poderosas naufragaram, exércitos invencíveis foram massacrados e Ele, o Menino pobre, nascido em uma gruta entre animais, o Filho da Virgem Maria, Protetor de famílias, continua forte como se agora nesse 25 de dezembro, dia em que comemoramos seu Natal, Ele, Jesus fosse completar 30 anos, para começar sua missão salvadora.
Hoje, infelizmente, por motivos diversos não acontece mais essas saborosas reuniões tão familiares em que a troca de presentes era feita por todos.
As crianças adoravam ficar em torno do Presépio, admirando aquele Menino tão singelo que nem uma roupinha tinha. Era envolto em paninhos. Gostavam de ver os carneirinhos brancos como a neve, fingindo comer graminhas de papel verde, picados.
O patinho nadando em lago feito de espelho. A vaquinha deitada preparando o leite que seria retirado na manhã seguinte.
E o jumentinho? Ele havia transportado uma jovem mulher até aquele estábulo, onde daria a luz, entre esses animais ao Santo Menino que repousaria em um cocho, sobre os alimentos dos animais.
O jumentinho com seu respirar forte aquecia aquele pequeno Ser, que era Deus!
Quais são os motivos do Natal estar tão diferente? Vejamos. Trabalhos e estudos em lugares distantes, afastam as pessoas desses felizes momentos.
21 séculos são passados. Presentear? Vamos seguir o que disse o Papa Francisco, ao pisar em terras brasileiras. “Não trago nem ouro nem prata, mas trago o que de mais valioso me foi dado – Jesus Cristo”.
Nós, também, podemos dizer que não precisamos de ouro, nem prata, para homenagear Jesus. Basta um coração aberto ao amor, à disposição de Jesus para que Ele aconteça sempre em nós e celebre as 3 verdades teológicas: Fé, Esperança, Caridade.
A Fé, Deus espera de nós. A Esperança, nós mesmo é que devemos ter, de um dia, estarmos no Reino de Deus. A Caridade, além de ser agradável a Deus, devemos proteger o irmão, que precisa de nós, porque todos somos irmãos em Cristo.
Como ajudar? Às vezes 1º na partilha do Pão. 2º uma palavra amiga, consoladora. 3º um material escolar. 4º um remédio para aliviar dores. 5º um brinquedo bem escolhido, porque ele pode definir a vida de quem o recebe. Para melhor ou pior.
Vamos falar de alegrias e esperanças. Arme seu presépio. Coloque em lugar de destaque o Menino Jesus.
Construa uma árvore. Ilumine-a. Cada luzinha daquela pode ser a Luz Divina em sua vida. Levemos a família à missa do Natal e sempre. Prestemos atenção a homilia, é o Evangelho que o Celebrante nos dirá. Cantemos com as crianças, Noite Feliz.
Vamos repetir. “É de pequenino que se torce o pepino”. Isso quer dizer. Eduquemos nossas crianças no amor a Jesus, Maria e José.
“Que o Natal não fosse só um dia,
Que os pais fossem como José,
Que as mães fossem como Maria,
E que os filhos parecessem com Jesus de Nazaré”.
Desejo que o Natal aconteça em todas as famílias (do mundo) e que nos 365 dias de 2019 chovam bênçãos do Céu em seus lares, porque Natal é fazer Jesus Cristo renascer em nossas almas, em nossos corações, dando sentido em nossas vidas.
Feliz e Santo Natal, com Jesus, porque Perdões é um território abençoado pelo Senhor Bom Jesus.
Que a Paz e o Amor de Cristo estejam com todos nós.
Amém! Amém! Amém!


por Alba Rezende Bastos (D.Iaiá)

Compartilhe este artigo