‘‘O rio é doce, a Vale é amarga’’

30 de janeiro de 2016 17:08 836

Já puseram políticos do mais alto escalão e blindados na cadeia, porque não os gringos, que nos deixaram numa situação dessa, com o maior desastre ambiental do Brasil.
A Samarco vem desrespeitando até os ajustamentos de conduta, proposto pela promotoria pública de Mariana. Não estava nem chovendo nos dias do rompimento da barragem de rejeitos de Fundão, nós que não somos técnicos, já sabemos que houve negligência e descasos para acontecer essa tragédia, ceifando diversas vidas, e deixando um rastro de destruição em toda região, estendendo até o Rio Doce e chegando ao oceano.
Santo juiz Sérgio Moro e louvável TCU – Tribunal de Contas da União, rogai por nós!
Levaram décadas e gastaram uma fortuna para despoluir o Rio Tâmisa, e hoje é motivo de orgulho dos londrinos com suas águas cristalinas, e ai de quem jogar qualquer tipo de rejeito nele, e eles vêm aqui, fazer essa m**** em nossos rios, isto é inadmissível.
E o pior é que tem outras barragens na região, na mesma situação de Fundão – com iminente riscos de rompimento.
O Brasil, até que enfim vem combatendo a corrupção dos políticos, e não mede esforços para por fim nessa farra, mas deve estender esta rigidez para estrangeiros que desrespeitam nossas leis ambientais.
Uma calamidade dessa não pode acabar em pizza. Seria uma utopia imaginar o Brasil livre destes descasos?
O mineiro Carlos Drumond de Andrade, ficou tão indignado com a destruição das montanhas de Itabira, sua terra natal, que mudou-se para o Rio de Janeiro e nunca mais colocou seus pés na cidade Natal e escreveu: “o rio é doce, mas a Vale é amarga.”
Minas Gerais tem um potencial de minérios incalculável, mas estão demolindo nossas montanhas com máquinas vorazes, deixando para trás buracos e rejeitos, muitas vezes, tóxicos e parecem que não recebemos royalty disto.
E a calamidade avança Brasil afora, já se tem notícias que a lama tóxica, tocada no mar pelos ventos e marés, já se aproxima do arquipélago de Abrolhos, um santuário de reprodução de peixes e outros animais marinhos.
Os intrépidos judiciários precisam conter essas mineradoras que desrespeitam nossas leis e fazem o que bem querem. Precisamos de vários São Jorge guerreiro para nos proteger dessas demandas.
Voltando a Bento Gonçalves, o governo mineiro enviou várias máquinas para se remover toda a lama, mas não é que, esses dias, quatro máquinas desapareceram, foram roubadas misteriosamente. Como gente inescrupulosas podem se aproveitar de tantas desgraças?
‘‘Todos esses que aí estão atravancando o meu caminho, eles passarão…Eu passarinho!’’
(Mário Quintana)

Agenor Pereira Guimarães Jr. (Noi)

Compartilhe este artigo