Slide Show


 

Banner

Recordar é viver: Escola de Samba Mocidade Perdoense

Publicado em: 11/02/2018 às 11:14 - Categoria Cultura
Total de visualizações: 316
José Roberto vestido de Deus dos Orixás 1976

E aí está o Carnaval 2018 e para quem gosta dessa festa, aguardou com ansiedade.
O carnaval de Perdões tem história bonita para se contar e recordar.
Nessa edição, vamos destacar uma escola de samba que surgiu com um grupo de amigos há 44 anos.
E quem traz essa boa lembrança é o perdoense, o advogado José Roberto, que já foi entrevistado pelo VOZ para falar com muita alegria e conhecimento da jovem guarda.
Na Escola de Samba, José Roberto foi compositor, destaque nas alas, vice-presidente e ao mesmo tempo ajudava na organização financeira para comprar brilhos, roupas e etc. Ajudava a cantar o samba enredo no microfone em plena praça central.
A Escola de Samba Mocidade Perdoense surgiu com o grupo de amigos: Carlão, Sérgio, Binho, Sirlei e José Roberto em 1974 e posteriormente foram aparecendo outras pessoas
A princípio a finalidade da Escola de Samba era animar o carnaval perdoense e acima de tudo disputar com a Escola de Samba Alegria do Morro.
‘‘Na época era tudo difícil e com certeza tínhamos os carnês que eram pagos mensalmente, recebíamos doações de Prefeito e de algumas empresas e raramente de vereadores, muitas vezes nós é que fazíamos tudo desde a compra de instrumentos até as fantasias’’, relembra José Roberto.
A Escola de Samba Mocidade Perdoense tinha cerca de 300 componentes entre adultos e crianças, tanto na bateria, como também nas alegorias.
‘‘Éramos muitos unidos, chorávamos ao ver a beleza das fantasias confeccionadas pela Maria Cármen(Nem), a Cida minha irmã, e era uma grandiosa festa, muita gente ajudava, não tínhamos horário para dormir e assim foram 3 anos de muita animação e emoção no carnaval perdoense. Éramos muito aplaudidos, nosso carro alegórico era um show de beleza; éramos muitos felizes em poder mostrar nossos talentos para nossa terra no dia do carnaval, o que não nos faltava era o samba no pé.
Foi uma época tranquila com muita primazia e acima de tudo um comportamento nota 10 do pessoal da época’’, com emoção José Roberto relembra esse tempo.
E para finalizar, José Roberto deixa uma mensagem para os carnavalescos perdoenses: O carnaval é uma festa muito popular, antes só existia nos clubes da cidade, hoje existe o chamado carnaval de rua.
Que as pessoas possam aproveitar esses cinco dias de folia, de forma sadia, tomando suas cervejas e sem violência.
Aos organizadores do evento desejo-lhes muito sucesso e que nosso carnaval seja o espelho para nossa cidade e também para os visitantes que virão prestigiar esse evento na Terra da Amizade.



MAX

PW (1)

anuncie