Entendendo a Tireóide

3 de fevereiro de 2020 9:29 138

Ela é pequena, pesa aproximadamente 20 gramas e está localizada logo abaixo do Pomo de Adão.
Produz os hormônios tireoidianos, sendo a responsável pelo nosso metabolismo.
Quando está com problemas, ocasiona inúmeras desordens no funcionamento do corpo. Acomete homens, mulheres e crianças, sendo bem mais prevalente no sexo feminino. De etiologia (causa) autoimune, ou seja, o próprio organismo produz anticorpos que acabam por atacá-la e ocasionar os distúrbios em questão.


Quando na falta de hormônio, também chamado hipotireoidismo, pode ocasionar queda de cabelos, unhas quebradiças, pele seca, tendência ao ganho de peso por retenção hídrica, cansaço, raciocínio lento, sensação de peso nas pernas e constipação intestinal (intestino preso).
E, quando está produzindo em excesso seus hormônios (hipertireoidismo) os sintomas comuns são emagrecimento sem uma causa aparente, queda de cabelos, palpitação, ritmo acelerado de pensamentos e ideias, “intestino solto”, pele mais quente, sudorese aumentada, tremores finos de extremidades. Pode haver crescimento do volume tireoidiano também conhecido como bócio, com ou sem nódulos, em ambas as situações.
O diagnóstico é feito a partir dos sintomas clínicos referidos e das dosagens sanguíneas alteradas dos hormônios tireoidianos.


O tratamento do hipotireoidismo é medicamentoso, feito com a reposição do hormônio em questão, visto que o mesmo encontra-se em falta; e no caso do hipertireoidismo, o tratamento medicamentoso visa reduzir a produção hormonal excessiva e também podemos optar pelo tratamento com iodo radioativo ou cirurgia quando o bócio é bem significativo.
O tratamento visa dar uma melhor qualidade de vida e isso é sempre possível quando as taxas hormonais retornam aos níveis adequados. Desta maneira, as pessoas podem levar uma vida totalmente normal.


por Dr.Joel Alexandre Maia – médico endocrinologista e metabologista, filho de Joel Carvalho Maia e Vitória Augusta Alexandre Maia (Pigute), graduado em medicina em 2002 na FESO (Teresópolis/RJ), residência médica em clínica médica na UFTM (Uberaba/MG) e especialização em endocrinologia e metabologia na Santa Casa de Belo Horizonte/MG. Título de especialista em endocrinologia e metabologia, é membro titular da SBEM – Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, com clínica em Belo Horizonte, Betim, Contagem, São Gotardo e a partir de março também em Perdões, com atendimento na CEUP.

Compartilhe este artigo