Eucaristia, o Pão Vivo descido do Céu

21 de junho de 2020 15:56 55

Na quinta-feira após a Solenidade da Santíssima Trindade a Igreja celebra a Solenidade do Santíssimo Sacramento do Corpo e Sangue de Cristo, festa comumente chamada de Corpus Christi. A motivação litúrgica para tal festa é o louvor merecido à Eucaristia, fonte de vida da Igreja.

Desde o princípio de sua história a Igreja devota à Eucaristia um zelo especial, pois reconhece neste sinal sacramental o próprio Jesus, que continua presente, vivo e atuante em meio às comunidades cristãs. Celebrar Corpus Christi significa fazer memória solene da entrega que Jesus fez de Sua própria Carne e Sangue, para a vida da Igreja, e comprometer-se com a missão de levar esta Boa Nova para todas as pessoas. Neste dia, o Mistério de Amor que nos foi legado por Cristo como memorial eterno de Sua Paixão revela-se a todos nós.

A festa de Corpus Christi apresenta-se também como uma manifestação pública de fé na Eucaristia, onde o povo de Deus expressa seus mais valorosos sentimentos diante do Cristo que caminha pelas ruas da cidade, no meio da procissão. Neste ano, em face do isolamento social decorrente da pandemia do Covid-19, a celebração de Corpus Christi na Paróquia Nossa Senhora das Graças de Perdões-MG ocorreu exclusivamente na igreja. Todavia, os fiéis católicos acompanharam, de suas casas, pelo Facebook da paróquia, a celebração solene da eucaristia, a procissão e as bênçãos com o Santíssimo Sacramento que ocorreram na própria igreja.


Como gesto concreto nesta linda Solenidade de Corpus Christi, os paroquianos doaram fraldas geriátricas destinadas aos irmãos assistidos pelo Lar Vicentino Chico Norberto, entidade assistencial que acolhe pessoas idosas na cidade de Perdões-MG, cuja fundação ocorreu em 08/12/1950 (Dia da Imaculada Conceição), contando o Lar, atualmente, com 45 acolhidos, 17 homens e 28 mulheres.


Celebrar Corpus Christi é contemplar a grandeza de tudo o que se realiza sobre o altar. É a nova e eterna aliança do Pai com nossa humanidade, realizada por meio de seu Filho Jesus, Nosso Redentor, que humildemente se faz presente no Pão, que é Seu Corpo e Seu Sangue Redentor.
Tão grande é esse mistério que só podemos contemplar a imensidão desse amor que se faz Pão, que se faz Comunhão e é Nossa Salvação.
Bendito seja, hoje e sempre, o Sacramento do Altar. Comendo Sua Carne e bebendo Seu Sangue, unimo-nos sacramentalmente a sua Paixão e Morte, para podermos também partilhar de Sua Vida plena, que se inicia aqui na terra, quando assumimos o amor como conduta de vida.

por Paróquia Nossa Senhora das Graças Colaboradora: Joana D´Arc do Carmo Eurico Morais Penido/ Colaboradora: Joana D´Arc do Carmo Eurico Morais Penido

Compartilhe este artigo