Perdões comemora 108 anos

31 de maio de 2020 16:30 922

‘‘Não nasci em Perdões, mas Perdões nasceu e cresceu em mim’’

Perdões tem em sua bagagem muitos cidadãos e cidadãs que atuaram na sua construção e desenvolvimento. Gente que nasceu na cidade e outras que vieram de diversos locais, mas a adotaram com muito amor.
A reportagem VOZ convidou cidadãos e cidadãs atuantes que moram ou já moraram na querida cidade de Perdões, que na próxima segunda-feira completa 108 anos de emancipação político administrativa.
O professor Wagner Serodio, a professora Francy Lehmkhul Fiocca, a educadora Cíntia Garcia, o empresário Philippe Vasconcelos e a assistente social, atualmente trabalhando no Jornal VOZ, Mirella Oliveira.
Agradecemos aos cinco que prontamente responderam as perguntas do VOZ:
Nome completo – Idade – Onde Nasceu – Em que ano veio para Perdões – Por que? – Tem familiares que moram aqui? – Onde mora atualmente? – Uma frase para o aniversário de Perdões.

Philippe Alvarenga Costa de Vasconcelos, 31 anos, nasceu em Belo Horizonte/MG.
”Quando completei 1 ano de idade (final do ano de 1989) me mudei de Belo Horizonte para Perdões, porém ao completar 3 anos (final do ano de 1992) fui morar em Niterói – RJ onde vivi até o final do ano de 2012. Em 2013 retornei para Perdões.
Sempre tive a vontade de voltar a morar em Perdões, pois mesmo morando fora nunca perdi o contato e sempre que podia estava na cidade. Voltei a morar em Perdões para trabalhar junto com minha família.
Tenho familiares que moram aqui – a parte materna de minha família é toda de Perdões e atualmente também moro na cidade.”
Uma frase para o aniversário de Perdões:
Parabéns Perdões pelo aniversário e votos para que continue sendo esse local especial para os perdoenses residentes e os que a amam a distância.

Cíntia Naves Garcia Pedrozo, 48 anos, nasceu em Lavras/MG
”Mudei-me para Perdões em janeiro de 1983, com meus pais e irmãos.
Meu pai era bancário (trabalhava no Banco do Brasil) e foi transferido para Perdões quando a agência foi aí inaugurada.
Meus pais ainda moram em Perdões e, como meu marido é perdoense, aí tem seus familiares.
Atualmente moro em Lavras, com meu marido e dois filhos.”
Uma frase para o aniversário de Perdões:
O progresso da cidade depende também das atitudes de seus habitantes. Parabéns por fazerem de Perdões um lugar tão querido e que continue prosperando!
Que o Senhor Bom Jesus dos Perdões abençoe a cidade por seus 108 anos de emancipação!

Wagner Serodio, 52 anos, nasceu no Rio de Janeiro/RJ.
”Em 1994 vim para Perdões pela primeira vez a trabalho, em 2003 ingressei na Escola José Norberto como Professor e em 2012 mudei em definitivo para a cidade.
No segundo semestre de 1993, fui contratado para ser treinador de vôlei pelo Lavras Tênis Clube, sendo assim, em 1994, participando da minha primeira competição pelo clube, vim a cidade de Perdões para jogar contra a equipe local da AME, comandada pela Professora Cíntia Assunção.
Às vezes se repetiram, até que em 2002, a convite da professora de Educação Física, Eliana Gomide Vitor, apresentei na E.M. José Norberto de Andrade, palestra sobre atividades esportivas ligadas a saúde.
Muito bem recebido pela diretora, na época era a Lysia, ao finalizar a minha apresentação, fiquei tão maravilhado com tudo que falei para Camila que um dia faria um concurso e voltaria para aquela escola, mas como professor.
E por incrível que pareça no ano seguinte, houve concurso e graças a Deus, e ao meu estudo, claro, fui aprovado em primeiro lugar e me tornei Professor de Educação Física, aonde falei que trabalharia, na Escola Municipal José Norberto de Andrade.
Já atuando na cidade, mas ainda morando em Lavras, aos poucos fui trazendo para Perdões minha vida.
Em 2008, além do trabalho que realizava na escola, em parceria com a direção da mesma, criei as primeiras turmas de Iniciação ao Vôlei, para crianças da “Escola José Norberto”, voluntariamente.
Em 2009 minhas maiores conquistas apareceram. Meu casamento com a Camila em janeiro e em novembro, a chegada de Bruno e Rafael, meus filhos gêmeos.
Já em 2011, procurei o Professor Luiz Sérgio, disse que tinha a intenção de me mudar de vez para a cidade e queria começar trazendo meu trabalho de anos em Lavras, falei sobre a equipe que eu tinha e ela poderia representar Perdões no JIMI – Jogos do Interior de Minas. Na mesma hora ele aceitou e assim comecei a escrever num pedacinho da História de Perdões, e começar de vez a minha fixação na cidade.
Em 2012 me mudei ‘de mala e cuia’ pra cá, porque além da vida profissional, tinha a família da minha esposa, natural daqui, e ainda o fator de tanto eu quanto a Camila, tínhamos a certeza que Perdões seria o lugar ideal para nossos filhos crescerem.
Daí para frente o ciclo de amizades foi aumentando, o trabalho na Escola sendo desenvolvido e o desportivo já com algum sucesso.
Daí em diante, foram inúmeras conquistas, das quais me orgulho em ter trazido para Perdões, como o Vice-Campeonato e o 3º lugar Estadual do JIMI, além de várias conquistas na Liga Sul Mineira de Vôlei e Federação Mineira de Vôlei, Torneios Regionais e revelado atletas que hoje estão atuando no cenário Nacional.”
Uma frase para o aniversário de Perdões:
Perdões, cidade acolhedora, que escolhi para viver e criar meus filhos. Paz e Prosperidade pelos seus 108 anos.

Francyane Kristinny Lehmkhul Fiocca, 33 anos, nasceu em Curitiba/PR
‘‘Lembro o dia que vim para Perdões – 08 de dezembro de 1996, era realização de um sonho de criança, eu tinha 9 anos.
A família da minha mãe é de Perdões, sempre tivemos essa vontade de estarmos perto, além disso meus pais viram na cidade a oportunidade de uma vida mais tranquila e com novas possibilidades.
Tenho familiares que moram em Perdões – meus pais, irmãos, sobrinhas, primos, tios, sogros, enfim, muita gente que eu amo.
Atualmente moro em Santo Antônio do Amparo, mas nesses últimos anos, desde que saí de Perdões, já morei em seis cidades, pela primeira vez estou mais pertinho da minha terrinha, o que é motivo de muita alegria.”
Uma frase para o aniversário de Perdões:
Amor a gente não explica, simplesmente sente, e é isso que sinto por Perdões. Desde pequena amei essa cidade, por um tempo de minha vida, realizei o sonho de ter aí minha morada, espero que um dia, muito em breve, eu possa voltar. Continuem cuidando com muito carinho e respeito de nossa cidade, recebendo bem as pessoas que aí decidem ficar, pois somos um único povo, unidos pelo amor, por esse pequeno lugar, que é tão grande em nossos corações.

Mirella Oliveira Clemente, 24 anos, nasceu em São Bernardo do Campo/SP
”Vim para Perdões em 1996, com meus pais e minha irmã.
Minha família paterna morava na cidade e minha mãe decidiu me criar perto deles.
Minha mãe, minha irmã, meus sobrinhos e minha família paterna moram na cidade.
Atualmente moro no Jardim Centenário em Perdões.
Uma frase para o aniversário de Perdões:
Nesses 108 anos de Perdões desejo que a cidade continue crescendo e evoluindo.
Desejo também que essa nova geração ajude para o crescimento moral, trazendo transformações para toda eternidade.

Compartilhe este artigo